Amortecedores – A sua importância na segurança do seu automóvel

Published On 21 de Janeiro de 2016 | tecnicos

suspension kit 630x419 Amortecedores – A sua importância na segurança do seu automóvel

O sistema de suspensão do seu automóvel é onde se encontra uma das suas peças mais importantes, os amortecedores. Estes são um dos elementos fundamental que compõe todo esse sistema e como tal trabalham em conjunto com outras peças mecânicas.

A suspensão no seu todo tem como principais funções, manter o nível correto da altura ao solo do automóvel, reduzir o efeito do impacto das estradas e manter o correto alinhamento do veículo.

Para controlar e reduzir os movimentos da carroçaria e do próprio chassis do automóvel, existem então os amortecedores.

As principais áreas do funcionamento dos amortecedores

A dinâmica de um veículo integrada com o condutor e o pavimento é determinada por quatro áreas:

1 – Manobrabilidade

2 – Aderência ao pavimento

3 – Movimentação Vertical

4 – Coeficiente NHV (traduzido; Barulho, Vibração e Aspereza)

O primeiro ponto diz respeito à resposta que o veículo dá aos comandos do condutor, e a forma como a estabilidade e o controlo do mesmo é afetado em vários níveis de velocidade. Os amortecedores com cargas maiores dão aos veículos uma resposta mais rápida.

O segundo ponto diz respeito á capacidade de aderência ao solo do veículo, é o que faz com que o mesmo tenha todas as rodas em contacto permanente com o solo, independentemente dos vários tipos de manobras possíveis, ou do tipo e irregularidade do pavimento. Os amortecedores com cargas maiores permitem maior aderência e como tal mais contacto dos pneumáticos com o solo.

suspensao 630x303 Amortecedores – A sua importância na segurança do seu automóvel

O terceiro ponto refere-se aos movimentos do chassis/carroçaria para cima e para baixo e a forma como estes afetam o conforto do veículo. Os amortecedores com cargas maiores permitem um controlo mais eficaz dessa movimentação vertical.

O quarto e último ponto, é obtido e estudado através do ruído no interior do veículo, nos mais diversos tipos de superfícies e obstáculos.

Os amortecedores com cargas mais baixas proporcionam maior conforto em contraste com os amortecedores com cargas maiores que como já afirmámos permitem maior estabilidade.

Pode-se pensar que o conforto não é proporcional à estabilidade, ou seja, teoricamente supõe-se que os amortecedores ideais proporcionam um ratio de 50%/50% em termos de conforto e estabilidade.

Contudo quando estes estão a ser desenvolvidos, outros fatores entram em jogo na análise, como o tipo de veículo e suspensão, as suas principais características, a sua finalidade, entre outros parâmetros.

Certos automóveis, em particular os mais desportivos possuem amortecedores com cargas mais altas, tornando a suspensão mais firme, a fim de proporcionar maior estabilidade. O conforto nestes casos é apenas “aceitável”.

Noutros automóveis, mais convencionais os amortecedores são mais macios no seu funcionamento de forma a proporcionar mais conforto com um nível de estabilidade aceitável.

amortecedores para automóveis

Quando falamos de amortecedores é fundamental esclarecer as suas funções principais.

Estes permitem manter o contacto dos pneumáticos com o solo, controlam os movimentos de abertura e fecho das molas e proporcionam benefícios ao condutor, passageiros, carga e ao próprio veículo.

Desta forma estão asseguradas as funções básicas que permitem estabilidade e conforto do veículo.

Outras funções dos amortecedores

Para além disto ainda proporcionam:

– Controlo do movimento do sistema de suspensão

– Diminuição da distância de travagem

– Redução do desgaste dos pneus

– Controlo da movimentação das molas

– Mantém os pneus em contacto permanente com o solo

– Mantém o alinhamento das rodas

– Permite o controlo da movimentação do veículo. Sejam a rolar, no balanço, e nos movimentos ascendentes e descentes provenientes da aceleração e travagem

– Reduz o desgaste dos outros componentes do sistema de suspensão

– Reduz a fadiga do condutor quando conduz

 Olhando para os amortecedores podemos afirmar sem margem de dúvida que estes são fundamentais para um veículo, pois permitem ao mesmo tempo, segurança, conforto e uma dinâmica a toda à prova.

Existem dois tipos de amortecedores, os com funcionamento hidráulico e os pressurizados.

amortecedores para automóveis

Os primeiros, são amortecedores munidos de óleo e ar, e possuem dois tubos diferentes, um que faz de reservatório e o outro de pressão.

Têm uma construção simples e proporcionam ao veículo um nível de estabilidade aceitável com um nível elevado de conforto. Foram desenvolvidos para qualquer tipo de veículos.

Do outro lado estão os amortecedores pressurizados (a gás), semelhantes aos anteriores, porém com diferenças significativas.

São amortecedores onde o ar é substituído internamente por um gás (nitrogénio). Na sua construção este gás inerte é colocado a baixa pressão.

O que os distingue dos amortecedores a óleo e ar, é o facto de estes terem um retentor especial que veda através de um lábio que evita a entrada de sujidade, pó e outros. Para além deste, existem ainda dois lábios que evitam o vazamento do óleo.

amortecedores

O retentor é flexível e trabalha tal e qual como uma válvula de retorno do gás, o que permite manter a pressão deste somente no tubo reservatório.

Este tipo de amortecedores proporciona aos veículos um conforto acima da média com um elevado grau de estabilidade e controlo direcional. Acabam por ser uma excelente opção para a maioria dos consumidores.

Por esta a altura o leitor já se interroga sobre como saber se os amortecedores do seu veículo precisam de ser mudados ou se já apresentam algum desgaste, com sintomas que aparentam possuir mas que desconhece o seu significado.

Ora pois bem, a maioria dos fabricantes de amortecedores afirma que a sua substituição (preventiva) deve ser efetuada por volta dos 40.000 kms. Porém existem inúmeros fatores que condicionam esta premissa, pois é necessário analisar outros dados para ser possível determinar se está na hora de mudar estes componentes.

Os dados cruciais para esse efeito são os seguintes:

– Condições das estradas por onde circula

– O comportamento dinâmico do veículo que dirige

– O peso que é transportado nessa viatura

– O estado dos outros componentes adjacentes ao sistema de suspensão

Na maioria dos casos o desgaste dos amortecedores não é facilmente identificável para o condutor do veículo, já que muitos destes têm uma deterioração progressiva, por vezes lenta e difícil de perceber. Desta forma a maioria dos condutores adaptam-se e interiorizam o comportamento do veículo sem se aperceberem do mau estado dos amortecedores, e negligenciando o facto de estes serem fundamentais para a segurança do veículo.

amortecedores para automóveis

Existem algumas maneiras para tentar perceber o estado destes componentes.

Possíveis causas do mau estado dos amortecedores

É possível através de alguns pontos-chave verificar o estado dos amortecedores, são eles:

– Quando trava com determinação, verificar se a frente do veículo mergulha em excesso, ou se na traseira existe o mesmo efeito mas desta feita em aceleração

– Observe com cuidado o estado dos pneus a fim de tentar detetar alguma deformação estranha na zona central

– Outro ponto de análise é ver se o veículo tem tendência a rolar excessivamente para alguma das suas extremidades

– Se estiver muito vento lateral analise se é difícil manter a direção normal do veículo

Todos estes pequenos gestos podem-lhe permitir algum conhecimento a fim de saber se é necessário substituir os amortecedores.

É de extrema importância que saiba que estes componentes são vitais para a segurança do veículo, e que a sua manutenção e conservação asseguram não só maior segurança para si, para os ocupantes e bagagem, como permitem que viaje com maior conforto.

Sérgio Gonçalves

A paixão pelos automóveis começou cedo e desde então tem andado de mãos dadas com o jornalismo nas suas mais variadas vertentes.

Produtor de conteúdos, com experiência em rádio, jornalismo online, jornalismo de imprensa e foto-jornalismo.
Sérgio Gonçalves

Comments are closed.