mudar pneu furado Como mudar um pneu furado em segurança?

Muito provavelmente já lhe aconteceu esta situação, se ainda não aconteceu está com sorte pois esta situação é quase uma fatalidade para qualquer condutor. Porém o mais certo é mais tarde ou mais cedo ter um furo ao volante do seu automóvel. Se lhe acontecer será que sabe qual é a forma mais correcta de proceder? Sabe todas as recomendações e procedimentos para mudar a roda do seu automóvel? Aqui no Autoblog.pt vamos ajudá-lo com alguns passos importantes para a concretização dessa tarefa e ajudá-lo de uma forma simples a fazê-lo em segurança.

Porém convém lembrar que nem nas escolas de condução ensinam os formandos a mudar uma roda em caso de emergência. A parte teórica não encontra a respectiva e importante parte prática do respectivo processo. E a consequência disso é que apenas 4 em cada 10 jovens europeus, sabem como mudar um pneu. Essa conclusão foi obtida através de um inquérito realizado pela empresa internacional de pneus Goodyear.

Aliás os dados desse inquérito revelam com mais pormenor a escala do problema. Um furo e a mudança da roda parece ser um problema fácil de resolver, porém o estudo mostra que essa facilidade não se aplica a todos.

Cerca de 59% dos 6400 jovens europeus, até aos 25 anos, que responderam ao inquérito, pura e simplesmente não conseguem resolver essa problemática. Um número que até pode ser visto como positivo já que 23% dos inquiridos confirmaram ter recebido algum tipo de formação específica para efectuar a troca de uma roda em caso de furo.

Em termos de género, os homens são os que se mostram mais disponíveis (58%) para mudar um pneu contra apenas 24% das mulheres que mostram disponibilidade para a mesma tarefa. Curioso é saber o que fazem essas mulheres, quando lhes acontece esse percalço. Normalmente (segundo esse mesmo inquérito) chamam os pais, ou chamam a assistência em viagem. Estas duas opções de recurso obtiveram a mesma percentagem (na ordem dos 22%) de escolha pelas inquiridas.

pneu furado Como mudar um pneu furado em segurança?

E tendo em conta estas estatísticas, e a constante procura na net por informações para ajudar na operação da mudança de uma roda em caso de furo, fez com que quiséssemos ajudar os leitores do Autoblog.pt a ficarem mais informados e esclarecidos em relação a esta operação simples, onde como já foi visto, poucos tiveram formação para aprendê-la.

Os principais passos a efectuar em caso de um furo:

1º Passo – Coloque o seu automóvel numa zona plana e puxe ou carregue (no caso dos automóveis com travão de mão eléctrico) no seu travão de mão. Engrene a marcha atrás e certifique-se de que está fora da faixa de rodagem para não perturbar o trânsito e para a sua segurança. Depois desligue o motor e ligue as luzes de perigo (“quatro piscas”). Depois, vista o colete reflector e sinalize devidamente o local com o triângulo.

2º Passo – Reúna as ferramentas necessárias para efectuar a troca da roda, procure a chave de porcas ou de cruz, o macaco, e obviamente a roda sobresselente. Se não as conseguir encontrar consulte o manual de instruções do automóvel para saber onde se encontram.

3º Passo -Tire o tampão caso o automóvel não tenha jantes especiais, ou seja com as respectivas porcas à mostra. Desenrosque ligeiramente as porcas do pneu antes de colocar o macaco debaixo da viatura. Caso o seu automóvel esteja equipado com porcas de segurança, é necessário um adaptador fornecido pelo fabricante para retirar uma das porcas especiais anti-roubo. Não se esqueça que será mais fácil usar o peso dos seus pés em vez de fazê-lo com os braços para aliviar os pernes, pois por vezes estão muito apertados.

4º Passo – Em seguida coloque o macaco na zona indicada pelo fabricante para o uso deste aparelho, senão conseguir ver onde é consulte novamente o manual de instruções do automóvel. Normalmente têm uma pequena seta para baixo na zona da longarina do veículo. Depois suba-o até a roda deixar de tocar no chão. Depois retire todas as porcas e se possível coloque-as num local onde não as perca de vista.

5º Passo – Retire o respectivo pneu furado com as duas mãos e coloque o sobresselente. Para total segurança coloque a roda (com o furo) que acabou de retirar do automóvel e coloque-a debaixo do automóvel. Isto permite-lhe uma maior segurança caso o macaco do automóvel ceda por algum motivo.

6º Passo – Com o pneu sobresselente já metido no eixo do automóvel, coloque a primeira porca, e em seguida coloque a segunda na diagonal desta ou seja numa padrão de aperto em estrela. Aperte-as ligeiramente e baixe progressivamente o automóvel. Em seguida acabe de aparafusar bem usando o peso dos pés para uma maior força de aperto.

7º Passo – Coloque o tampão se necessário, guarde o material necessário e o respectivo equipamento de segurança. Não se esqueça de remediar o furo tão depressa quanto possível, pois poderá ter o mesmo percalço e não ter como efectuar a troca.

Como vê agora através de estes passos já poderá resolver o problema em pouco tempo e com total eficácia. Não se esqueça dos procedimentos de segurança, evite ao máximo estar perto da faixa de rodagem, sinalize bem a sua presença seja com os sinais de perigo seja com o triângulo ou com o colete. O mais importante é a sua segurança e a dos outros. Depois meta mãos à obra e efectue a troca da roda. Se por acaso o seu automóvel não estiver equipado com uma jante e pneu igual ao original, ou seja, tenha uma roda de emergência, não se esqueça que essa mesma roda não possui as mesmas características dos pneus e jantes originais. Ou seja só poderá conduzir até uma certa velocidade máxima (cerca de 80 km/h) e por um período e distância reduzida. Ou seja o necessário para resolver o problema com o pneu original.

Porém nem todos os automóveis possuem roda de substituição, e a solução por parte dos construtores divide-se em duas outras opções para o mesmo problema, ou seja um furo.

Alguns automóveis vêm equipados com kits de reparação de pneus. Muitas marcas de automóveis adoptaram um prático sistema que permite reparar temporariamente o furo no pneu do seu automóvel.

kit-reparacao-pneus

O kit de reparação de pneus consiste basicamente num pequeno aparelho portátil, mais concretamente um compressor de ar, que é ligado ao isqueiro do automóvel ou a uma tomada de 12 Volts e que se liga directamente à válvula de enchimento do pneu. Depois o compressor injecta uma mistura de um líquido vedante, (juntamente com o ar) no interior do pneu para vedar eficazmente o furo à medida que enche o pneu. Este procedimento demora cerca de 10 minutos.

Isto permite ao condutor seguir a sua viagem, porém não deve ir além dos 200 quilómetros nem exceder os 80 km/h em prol da segurança. Ainda assim permite ao condutor dirigir-se facilmente a um revendedor de pneus para analisar o pneu e repará-lo ou substituí-lo.

Em termos de vantagens a principal reside no facto do condutor não ter necessidade de trocar o pneu na berma da estrada com todos os aspectos negativos que isso acarreta. Outra vantagem é redução de peso nos automóveis, que ronda os 15 Kg a 20 Kg.

As desvantagens principais são a limitação da reparação com esta opção, já que, no caso de o rasgo ser superior a 6 milímetros o mesmo equipamento já não consegue estancar o ar. Além disso o furo deve estar localizado no piso do pneu uma vez que os furos localizados na parede não têm reparação. Convém não esquecer o valor deste tipo de solução, uma vez que a embalagem do líquido vedante convém ser periodicamente substituída, para não ultrapassar a data de validade e não ser apanhado de surpresa. O custo ronda os 30,00 Euros por cada unidade, o que é propriamente barato.

Referência final para os pneus chamados “run-flat”. Alguns automóveis trazem este tipo de pneus. Em que consiste esta tecnologia?

É simples, pois a tecnologia dos pneus “run-flat” permite que um automóvel com um pneu furado prossiga a sua viagem até 80 quilómetros, a uma velocidade recomendada de 80 km/hora. Isto sem danificar as laterais do pneu e com enorme estabilidade.

pneus-run-flat

As principais vantagens resumem-se à segurança, ao controlo do veículo, a mobilidade e à comodidade. As principais desvantagens deste tipo de pneus, são o seu custo elevado de aquisição e a diminuição do conforto do automóvel.

Sérgio Gonçalves

Produtor de conteúdos, com experiência em rádio, jornalismo online, jornalismo de imprensa e foto-jornalismo.

Latest posts by Sérgio Gonçalves (see all)

 

Tags: