Harvey Firestone

Published On 1 de Agosto de 2012 | Personalidades

Harvey Firestone foi fundador de uma das mais conhecidas companhias a níveis mundial e continua a ser um clássico exemplo do sonho americano. Nascido numa típica zona rural americana, cresceu e trabalhou com os seus irmãos numa quinta da família, ambiente que deixou para trás alguns anos depois, para migrar para a cidade e completar os seus estudos.

Quando terminou o seu percurso académico, logo começou a trabalhar como vendedor de propaganda médica, estabelecendo-se em Detroit pouco tempo depois. Nesse período começou a vender charretes puxadas com cavalos. Curiosamente, um dos seus primeiros clientes foi Henry Ford, do qual se tornou um grande amigo intimo, e onde passou a ser fornecedor. Henry Ford nessa altura desenhava e projectava o seu primeiro veículo a motor.

Harvey Firestone era um grande visionário, e os objectivos eram bem mais grandiosos do que vender charretes e afins. O seu objectivo principal era criar o seu próprio negócio e na sua cabeça fervilhava uma série de ideias para tornar mais confortáveis os veículos que vendia. E a ideia passou do seu cérebro para a realidade e criou as rodas de bandage a principal inovação era que estas possuíam uma banda de borracha sólida. Conhecido amante de desafios, uma das suas máximas era reveladora da sua determinação: “Não podemos tornear as dificuldades. Temos de enfrentá-las”.

Firestone pôs mãos à obra e em 1900 inaugura na cidade de Akron no estado de Ohio a Firestone Tire & Rubber Company.

Consciente de que podia introduzir melhoramentos nos seus produtos, iniciou a produção de pneus de borracha em 1903, contando para isso com uma equipa de 12 homens. Mas o maior desenvolvimento dá-se em 1906 quando vendeu 8000 pneus a Henry Ford. Esta primeira encomenda de matéria-prima foi no valor de 110000 dólares e destinava-se ao amigo e parceiro de negócios (Henry Ford) que na altura construía o Ford T. Foi a maior negócio comercial da sua época e a primeiro a envolver pneus de parede laterais direitas.

Obviamente que muitos outros negócios se sucederam a este primeiro, passando a produção de 2,4 milhões de pneus em 1910 para 37 milhões em 1920, com um volume significativo de vendas na ordem dos 155 milhões de dólares. Apostando na investigação e em novos produtos, a companhia lança o pneumático, a jante desmontável em 1907, o piso de traçado desenhado para melhor aderência uma vez que até então os pneus eram lisos, o processo de imersão em látex em 1915 e os pneumáticos de baixa pressão em 1922. Mais tarde, em 1951 surgiriam os pneus tubeless, ou seja sem camaras de ar.

Todo este sucesso deve-se à brilhante mente de Harvey Firestone e foi a principal razão do seu sucesso. Um óptimo exemplo disso foi a campanha “Ship by truck” (transporte por camião), o grande grito de guerra lançado por Firestone com vista à criação de uma melhor rede de estradas e com isso garantir o futuro da sua actividade empresarial. Depois disto com naturalidade, que o passo que deu foi na intenção de fornecer um produto que, não só oferecesse aos camiões durabilidade mas também permitisse aos mesmos, rolarem a maior velocidade. Assim, em 1918 deu prioridade à fabricação de rodas de bandage e assim surgiram os primeiros pneumáticos.

Destaque para a criação de uma genial rede de distribuição com cerca de 500 lojas, onde se podiam comprar cerca de 2200 itens, e onde a diversidade de produtos era uma constante. Desde pneus para tractores agrícolas, baterias, acessórios, têxteis, borracha sintética, e até equipamentos nunca vistos antes, como viseiras em borracha para evitar ferimentos entre as disputas de carneiros nos rebanhos. O marketing foi também uma das armas preferidas e com maior sucesso de Firestone.

Em 1928 os seus pneus já eram um dos grandes pilares na mobilidade das famílias americanas. Firestone com a sua genialidade, reforçou a imagem da companhia entrando nas casas dos americanos, através de um talk-show radiofónico onde falava directamente com os seus clientes. Passando a fazer parta da “família”. Este programa único perdurou no ar durante 36 anos consecutivos.

A Firestone também teve um papel preponderante noutras áreas. Talvez o que mais realce foi o seu envolvimento nas duas guerras mundiais, onde o seu esforço de guerra foi também considerável. Pioneira no desenvolvimento de componentes de borracha para as lagartas dos tanques, juntando estas com o aço, permitia aumentar a velocidade e o poder de manobra. Os laboratórios da Firestone criaram ainda um composto de borracha auto-selante para os depósitos de combustível dos aviões, aumentando assim significativamente a sua sobrevivência em combate. Em 1950, esta companhia desenvolveu um míssil guiado terra-terra, o único míssil operacional do exército americano durante os anos 50.

O sucesso comercial também foi no campo desportivo, em especial em termos de automobilismo já que em 1971 forneceu os primeiros pneus slick para os Lotus e March que disputaram o GP do Mónaco em 1971. Relembrar também os triunfos que a marca conheceu no desporto automóvel, nomeadamente em competições como a Indy, Champ, Nascar, Fórmula 1, corridas de dragsters, Hill climbs e em recordes absolutos de velocidade.

Realce ainda para a vitória de Ray Harroun aos comandos de um Marmon Wasp nas primeiras 500 Milhas de Indianápolis, em 1911, prova que a Firestone viria a vencer 50 vezes. Assim como as primeiras vitórias de Jim Clark em 1968 e de Graham Hill, o primeiro piloto a vencer uma prova de F1 com pneus Firestone. Outro facto histórico foi também o recorde mundial de velocidade (999,98 km/h) estabelecido por Art Arfons a bordo do Green Monster em 1964. As três vitórias na Indy Racing League e os quatro campeonatos Auto Racing Teams desde 1995 foram outros marcos históricos e Harvey Firestone não poderia pedir mais. O seu sucesso era mundial e ficaria para sempre gravado na história.

A história mais recente da marca, revela que a independência terminou em 1988. A Bridgestone adquiriu a Firestone por 2,6 biliões de Dólares, e pouco tempo depois anunciou um plano de investimentos da ordem dos 1.5 Biliões de dólares nas operações da empresa.

Apesar disso é notável, o que um homem visionário como Harvey Firestone conseguiu criar, um vasto império ao longo de décadas com um valor comercial marginal no início até os biliões dos tempos mais recentes. Para trás deixa 112 anos de história mas o futuro mas velhos são os trapos, a história continua.

Sérgio Gonçalves

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.