Menu Fechar

Japonês Katsuta (Toyota) lidera manhã muito equilibrada no Vodafone Rally de Portugal

A primeira passagem pelas famosas classificativas de terra da região Centro fica marcada pelo equilíbrio, com seis pilotos separados por 9,1s na geral. Takamoto Katsuta (Toyota) lidera a prova após as primeiras cinco especiais, com escassos 2,9s de vantagem sobre Thierry Neuville (Hyundai) e 3,3s sobre Kalle Rovanperä (Toyota). Gestão dos pneus volta a ser crucial para a secção da tarde.

Depois de um primeiro dia marcado pela cerimónia de partida, em Coimbra, e pela Super Especial, na Figueira da Foz, a primeira manhã competitiva do Vodafone Rally de Portugal incluiu as primeiras passagens pelas classificativas de Mortágua (18,15 km), Lousã (12,28 km), Góis (14,30 km) e Arganil (18,72 km). Takamoto Katsuta (Toyota) foi o mais rápido em Mortágua, Dani Sordo (Hyundai) venceu as duas seguintes, e Thierry Neuville fechou a manhã, com o melhor tempo na clássica de Arganil.

A gestão da degradação dos pneus tem sido uma prioridade para os pilotos, atendendo aos pisos duros da região. Neuville, por outro lado, é o primeiro piloto na estrada e, como tal, tem a ingrata posição de ‘limpar’ o piso para pilotos que partem mais atrás, embora o líder do WRC esteja a fazer um excelente trabalho a gerir essa desvantagem, particularmente em Arganil. 

Com isto, Katsuta lidera o rali antes da secção da tarde, com 2,9s de vantagem sobre Neuville e 3,3s sobre Rovanperä. Mas pilotos como Ott Tänak (a 4,1s), Sébastien Ogier (7,5s) e Dani Sordo (a 9,1s) estão muito próximos dos lugares cimeiros, por isso, tudo em aberto para a secção da tarde.

No WRC2, o duelo entre Oliver Solberg (Skoda) e Gus Greensmith (Skoda) pela liderança é, para já, favorável ao jovem piloto sueco. Solberg tem 8,7s de vantagem sobre o britânico e 10,9s sobre o seu grande rival no Mundial, Yohan Rossel (Citroën). Estas diferenças podem vir a ser retificadas, devido a uma neutralização na especial de Mortágua, motivada pelo despiste de Pepe López.

Na prova do Campeonato de Portugal de Ralis, que atribui as suas pontuações no final da etapa de hoje, vantagem inicial para Kris Meeke (Hyundai), que está na frente de Armindo Araújo (Skoda) e de Ricardo Teodósio (Hyundai).

O QUE DISSERAM OS PILOTOS (APÓS P.E. 5 – ARGANIL)

#11 – NEUVILLE/WYDAEGHE

“Mantive o plano até ao fim. Esperávamos condições mais húmidas e mais aderência, mas estou muito contente com a minha manhã. Depois do shakedown não estava bem, mas agora sinto-me muito melhor. Tentei gerir bem os meus pneus.”

#33 – EVANS/MARTIN

“Não está a correr bem. O ‘feeling’ com o carro não é dos melhores.”

#16 – FOURMAUX/CORIA

“Temos estado a gerir os pneus durante toda a manhã. Houve muita limpeza de troços, mas estou satisfeito com a secção. Sabemos que muitas coisas podem acontecer na sexta-feira à tarde em Portugal”.

#69 – ROVANPERÄ/HALTTUNEN

“Posso dizer-vos uma coisa: carro preto + este calor = suor.”

#18 – KATSUTA/JOHNSTON

“Sem dúvida que é bom manter a posição. Vai ser muito difícil. Vamos tentar continuar a esforçar-nos. Eu podia atacar um pouco mais, mas ao mesmo tempo também fiz alguns erros”.

#17 – OGIER/LANDAIS

Ogier ficou sem intercomunicador. “Aconteceu algures na etapa. Não há muito (que possamos fazer), mudámos os pneus…”

#13 – MUNSTER/LOUKA

“Esta foi muito difícil. Estava a hesitar muito. Temos uma melhor posição na partida do que o tipo da frente, por isso, o Thierry tem de ir mesmo muito depressa. Temos de melhorar “.

#6 – SORDO/CARRERA

“Fiz toda a classificativa de Arganil sem o sistema híbrido. Perdi imenso tempo.”

PROGRAMA PARA A TARDE

14h05    SS6 Lousã 2 (12,28 km)

15h05    SS7 Góis 2 (14,30 km)   

16h05    SS8 Arganil 2 (18,72 km)            

17h35    SS9 Mortágua 2 (18,15 km)       

20h05    Assistência flexível (49 minutos) em Matosinhos (Exponor)

Sérgio Gonçalves

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.