Mais portagens nas ex-SCUT e na Auto-estrada A3

Published On 18 de Janeiro de 2013 | Geral

nao às portagens

Desde o início de 2013 que são vários os aumentos para o custo de vida dos portugueses como já referenciamos aqui no Autoblog.pt, em especial para quem possui e conduz um automóvel. Mas o Governo prepara-se para dar aos portugueses mais uma despesa, em especial para quem usa as Ex-SCUT e a A3. Algo que já levantou enorme polémica tendo em conta os benefícios e os contras desta medida.

Ainda assim o Governo pondera a introdução de mais 15 pórticos e praças de portagens nas auto-estradas nacionais. Em particular a introdução de sete novos pórticos para cobrança de portagens nas ex-SCUT do Norte Litoral, entre a localidade do Porto e Viana do Castelo, e mais quatro na ex-SCUT da Costa de Prata, entre a localidade de Mira e do Porto.

Incluído no documento elaborado pelo Governo, e que foi apresentado à “troika” na 6ª avaliação do memorando de entendimento, está a criação de um novo pórtico de cobrança de portagens na ex-SCUT do Grande Porto, e a construção de uma nova praça de portagem na concessão Norte, no troço Longra-Felgueiras. Para além das ex-SCUT está também previsto que sejam reintroduzidas as portagens na A3, no troço entre o Porto e a Maia, a mesma auto-estrada que é gerida pela Brisa.

Mas não é só no norte do País em que vai ser introduzido novos pórticos, pois o Governo também planeia a colocação de dois pórticos de cobrança de portagens na concessão da Grande Lisboa, nos troços entre Alcabideche e Linhó e entre Ranholas e Lourel.

O Governo espera alcançar uma receita entre os 47 e os 70 milhões de euros por ano com estes novos 15 pondos de cobrança de portagens no território nacional. Porém já são muitas as vozes de protesto que se levantam contra esta intenção, em especial os Autarcas das regiões afectadas, que já se reuniram de emergência para analisar esta problemática.

Sérgio Gonçalves

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.