Museu do Caramulo inaugura exposição “RUSH”

Published On 29 de Agosto de 2013 | Geral

rush

O Museu do Caramulo vai inaugurar no dia 6 de Setembro, pelas 18h30, a exposição temporária “Rush”, do artista João Louro, que estará patente até 26 de Janeiro de 2014.

A exposição “Rush” foi pensada à volta de nove peças de arte, algumas inéditas, produzidas expressamente para esta exposição. O conjunto das obras, algumas de grande dimensão, foram produzidas pelo artista ao longo dos últimos dois anos e transportam os visitantes para a estética e imaginário associado à sensação da velocidade e de adrenalina.

A data da inauguração da exposição vai coincidir com o primeiro dia do Caramulo Motorfestival, o maior festival motorizado em Portugal, que é uma organização do Museu do Caramulo.

Esta exposição temporária é produzida pelo Museu do Caramulo com o apoio da Galeria Cristina Guerra Contemporary Art, Lisboa e da Galeria Fernando Santos, Porto, bem como do BPI e da Câmara Municipal de Tondela.

Em baixo transcrevemos o texto do artista, e introdutório da exposição.

Rush
Esta é uma exposição sobre estradas. E curvas. E sobre velocidade. É uma exposição sobre a meta e sobre tudo o que é velocidade neste tempo imóvel.

Eu vou sozinho, ao volante do automóvel que vai cortar a meta. E olho para o lado. E, nesse micro segundo, descubro o acidente inicial e quero ser o lado de fora. Quero ser a berma, o cão vadio, o vagabundo ou o espectador. E ir para o sítio onde a velocidade abranda.

Nesse sítio, de fora, vejo a máquina a passar num vroooommm descendente de efeito doppler.

“Rush” é a recta com uma curva no fim. É onde termina a berma, onde passa o cão vadio e o vagabundo. Todos olham para o photofinish do automóvel em alta velocidade num freeze desfocado. E é esse ponto final, no cruzamento das bandeiras em xadrez, do tempo-parado-automóvel, o sítio da velocidade máxima. É a recta da meta! (Sim, esse é o segredo). Agradeço ao Juliano Garcia Pessanha, escritor brasileiro, meu amigo, ter-me recordado onde está a “berma”, o “cão vadio” e o “vagabundo”. Porque espectadores já todos sabemos que somos.

João Louro, 2013

Cartaz Rush

Sobre o artista
João Louro (1963) vive e trabalha em Lisboa. Estudou arquitectura na Faculdade de Arquitectura de Lisboa e pintura na Escola de Arte e Comunicação. O seu trabalho engloba pintura, escultura, fotografia e video. Natural descendente da Arte Conceptual e do Minimalismo, João Louro ensaia no seu trabalho ultrapassar o paradigma romântico, dando protagonismo ao espectador que, segundo o artista, é o único que poderá completar a obra de arte. www.joaolouro.com.

Segue-me
Latest posts by Rui Augusto (see all)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.