Menu Fechar

O NOVO MACAN TESTADO EM PROL DA PERFORMANCE E DA EFICIÊNCIA

A Porsche submeteu o protótipo do Macan elétrico a um exigente e exaustivo programa de testes para preparar a estreia mundial do SUV. O veículo é um desenvolvimento completamente novo. Os engenheiros da Porsche não se pouparam a despesas durante o desenvolvimento e testes.

Dez anos depois do lançamento do Macan, a Porsche prepara-se para lançar a segunda geração do modelo, agora com uma motorização totalmente elétrica. Ao ser o primeiro modelo Porsche construído com base na nova Premium Platform Electric (PPE), o SUV assumiu um desenvolvimento completamente novo. O processo de testes para garantir a coordenação perfeita de todos os componentes e sistemas foi, por isso, meticuloso. A Porsche dá grande importância aos testes no mundo real com protótipos camuflados. Ao mesmo tempo, as simulações no mundo virtual e no túnel de vento são cada vez mais precisas e desempenham um papel cada vez mais importante. Isto é particularmente visível quando se trata de tornar um novo Porsche não apenas mais desportivo, mas também mais eficiente.

Valor Cx de 0,25 – designers e engenheiros de aerodinâmica em sintonia

“Quando desenvolvemos um novo modelo, o que está em causa é sempre a dinâmica e precisão de condução. Isso é a Porsche. Está no nosso ADN. Mas também é sempre uma questão de eficiência. E design”, afirma Jörg Kerner, Vice President Product Line Macan. Um dos desafios passou por manter a identidade bem sucedida do modelo Macan e, ao mesmo tempo, cumprir os requisitos aerodinâmicos necessários para garantir uma elevada eficiência e, consequentemente, uma grande autonomia. Desta forma, foi importante assegurar uma estreita cooperação entre os líderes das duas equipas durante as fases de desenvolvimento no departamento de Design e os testes aerodinâmicos no túnel de vento de última geração da Porsche. “Encontrar a ligação ideal entre os nossos princípios de design e as especificações que nos são dadas pelos engenheiros de aerodinâmica é certamente um desafio”, diz Peter Varga, Director Exterior Design na Style Porsche. “Estamos a trabalhar em conjunto em cada milímetro para alcançar o equilíbrio perfeito entre estética e função”.

Através deste trabalho de equipa, a Porsche conseguiu combinar o seu ADN de design com uma aerodinâmica otimizada em termos de autonomia. Isto foi conseguido não só devido a uma silhueta marcante, mas também pelos componentes da Porsche Active aerodynamics (PAA) e por outras medidas específicas. “Todos os elementos aerodinâmicos ativos contribuem significativamente para a autonomia”, afirma Thomas Wiegand, Director Aerodynamics and Aeroacoustics. “Temos uma asa traseira extensível de forma automática e flaps ativos de refrigeração nas entradas de ar dianteiras”. Existem ainda elementos variáveis na parte inferior da carroçaria. O piso do veículo é plano e fechado como o de um automóvel de competição, mesmo na zona do eixo traseiro. As carenagens são flexíveis e asseguram uma baixa resistência ao ar durante os ressaltos – uma solução inovadora em combinação com as jantes fechadas e os pneus aerodinamicamente otimizados. Durante uma viagem normal numa estrada rural, o Macan assume de forma automática a sua aerodinâmica ideal. A asa traseira move-se para a posição eco, os flaps fecham-se e o nível do chassis baixa. Nesta situação, Wiegand e a sua equipa mediram um coeficiente de resistência de 0,25 (anteriormente era 0,35). Tudo isto faz do novo Macan um dos SUV mais aerodinâmicos do mercado – com um grande impacto na eficiência. De acordo com o WLTP, a autonomia será superior a 500 km em todas as variantes.

Carregamento rápido de até 270 kW – para todos os mercados

Os motores elétricos do novo Macan retiram a sua energia de uma bateria de iões de lítio localizada na parte inferior da carroçaria que conta com uma capacidade bruta de 100 kWh, dos quais até 95 kWh podem ser utilizados ativamente. A arquitetura de 800 volts da PPE do novo Macan permite carregamentos rápidos de alta performance, algo que está a ser testado em todo o mundo como parte do processo de desenvolvimento. “Existem diferentes normas de carregamento nos nossos principais mercados. Por isso, um dos principais objetivos dos testes tem sido verificar estas diferentes condições de enquadramento com os nossos protótipos e adaptar a tecnologia em conformidade, sempre que necessário. O carregamento tem simplesmente de funcionar, onde e quando quer que seja”, afirma Kerner. A capacidade de carregamento DC para o novo Macan em postos de carregamento de 800 volts é de até 270 kW. O nível de carga pode ir dos 10 aos 80 por cento em menos de 22 minutos nas estações de carregamento de 400 volts. Um interruptor de alta tensão na bateria permite que o carregamento seja realizado através da divisão da bateria de 800 volts em duas partes, cada uma com tensão nominal de 400 volts. Isto permite que um carregamento particularmente eficiente, sem um amplificador de Alta Voltagem adicional, de até 150 kW. O carregamento AC é possível com até 11 kW. 

Testes de dinâmica de condução em condições extremas

A Porsche desenvolveu o novo Macan com uma atenção especial à dinâmica de condução típica da marca, bem como a uma sensação de direção bastante familiar. Estas competências essenciais do construtor de automóveis desportivos foram o principal objetivo durante os testes. Através de várias fases de teste, o foco passou por coordenar os componentes e sistemas recém desenvolvidos e garantir a estabilidade operacional e o bom funcionamento. Nos testes de resistência, a vida útil de um veículo é simulada sob o tipo de conduções adversas que, mais tarde, só serão experimentadas por clientes no limite absoluto. Até à data, os protótipos camuflados do Macan elétricos já completaram mais de três milhões e meio de quilómetros de testes em circuitos e estradas públicas.

Para testar a interação de todos os componentes ativos de condução em situações climáticas extremas, os veículos de teste andaram em todo o mundo. “Cobrimos todas as gamas de temperatura. Desde -30º C na Escandinávia, até 50ºC que experienciámos no Death Valley na Califórnia”, continua Kerner. “Naturalmente, um SUV também tem de funcionar em qualquer superfície. É por isso que testámos não só em estrada, mas também fora de estrada, em gravilha, neve e gelo”. A tração integral, com foco no eixo traseiro, do Macan elétrico tornam a tarefa mais fácil. A Porsche utiliza a última geração de motores PSM nos eixos dianteiro e traseiro. Estes fornecem uma potência em overboost superior a 450 kW, uma excelente eficiência e permitem uma ótima reprodutividade da potência. O Porsche Traction Management, controlado eletronicamente, gere quase em tempo real a distribuição dos mais de 1.000 Nm de binário com Launch Control da versão topo de gama. Para oferecer uma maior diferenciação entre performance e conforto, os engenheiros incluíram o sistema Porsche Active Suspension Management com tecnologia de amortecedores de duas válvulas, suspensão pneumática, bloqueio transversal do eixo traseiro e, pela primeira vez no modelo, eixo traseiro direcional com um ângulo de até cinco graus. 

Sérgio Gonçalves

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.