certificacao de classicos Onde e como certificar o seu clássico

Provavelmente já ouviu falar deste tema, e se calhar até tem interesse em certificar o seu automóvel clássico de forma a valorizar e de beneficiar com esta certificação. E poderá fazê-lo em Portugal através de duas identidades públicas diferentes: O Museu do Caramulo, através da Fundação Abel e João de Lacerda ou através do Automóvel Clube de Portugal (ACP). Existem inúmeras vantagens em certificar o seu automóvel antigo e esperamos esclarece-las neste artigo, assim como onde o pode fazer, e os custos dessa operação.

Museu do Caramulo

A experiência de mais de 50 anos em veículos clássicos, do Museu do Caramulo e respectiva Fundação Abel e João de Lacerda, permite que seja considerada uma entidade oficialmente reconhecida, através da Portaria 1101/94 para Certificar Viaturas de Interesse Histórico.

E o que é o Certificado?
O Certificado atesta a qualidade da respectiva viatura como tendo Interesse Histórico e permite o reconhecimento da mesma como Clássico ou Futuro Clássico, nomeadamente junto das seguradoras em caso de conflito, podendo ser usada também para a circulação nas cidades com Zonas de Emissões Reduzidas. Ou seja não só em caso de acidente beneficiará com esta certificação como numa utilização em cidade e em zonas de emissões reduzidas como é o caso de algumas zonas em Lisboa. Também permite uma maior valorização do seu veículo numa posterior venda.

Outro aspecto que convém ser realçado é que de acordo com o Despacho 10298/2001, as viaturas certificadas com data de fabrico até 31 de Dezembro de 1959, ficam isentas de Inspecção Periódica Obrigatória. Ou seja mais uma poupança directa no seu bolso, caso a sua viatura seja anterior a 1960.

As certificações podem ser feitas no Museu do Caramulo ou noutros locais, sob a respectiva marcação prévia.

Informamos aqui o custo desta operação:
Motos – €50,00
Veículos Ligeiros – €75,00
Veículos Pesados – €90,00
Futuros Clássicos – €45,00
Amigos do Museu – €65,00

Existe ainda a possibilidade de realizar protocolos com Clubes.

Para o leitor é importante que saiba para além das vantagens e dos preços, quais são os critérios de avaliação neste processo. Já de seguida os parâmetros necessários exigidos.

Pontos a verificar nas Certificações:

Carroçaria – Não deverá ter alterações. Deverá estar bem cuidada, sem pontos de ferrugem nem amolgadelas. A pintura, os cromados, as borrachas e os vidros deverão estar em bom estado, sem riscos e de cor uniforme.

Capota – Nos veículos transformáveis, as capotas deverão estar perfeitamente funcionais e sem apresentar rasgões ou qualquer outro tipo de deterioração.

Estofos – Os estofos e interiores forrados, deverão estar em bom estado de conservação, sem rasgões e de materiais de acordo com o modelo.

Instrumentos – Os instrumentos deverão ser originais, em bom estado de funcionamento e de conservação (limpeza interior).

Limpa Vidros – Todo o sistema deverá estar em perfeito estado de funcionamento e as escovas com capacidade de remoção da água do vidro.

Iluminação – Os faróis e farolins deverão ser da época do veículo, de marca adequada, em perfeito estado de funcionamento e iguais entre si quando em pares. No caso dos veículos mais antigos, poderão ser montados “piscas” suplementares, desde que não danificando a estrutura do veiculo.

Chassis – O chassis deverá apresentar-se limpo e estar bem conservado.

Suspensão – O sistema de suspensão deverá funcionar correctamente e ser original.

Rodados – Poderão ser montadas jantes especiais, desde que sejam de época. (Ex. Jantes Minilite). As jantes deverão estar em boas condições, com os respectivos tampões, quando for o caso, os pneus deverão ser de acordo com a medida dos documentos e deverão ser iguais entre si, em termos de medida e marca.

Direcção – O volante deverá ser o original ou extra de época e não poderão existir folgas.

Travões – Os travões deverão estar em perfeito estado de funcionamento e eficiência.

Motor – O motor deverá estar em boas condições, limpo, sem fugas de óleo, sem ruídos excessivos e sem emissões de fumo exageradas.

Sistema de Combustível – O sistema de combustível deverá ser o original.

Transmissão – A transmissão deverá apresentar-se limpa, lubrificada e bem conservada.

Sistema Eléctrico – O sistema eléctrico deverá ser o original.

Diversos – Todos os extras inseridos na viatura, como sejam rádios, faróis suplementares, antenas, etc, deverão ser de época.

Portanto leia com atenção todos estes pontos e verifique se o seu automóvel cumpre com todos. Se porventura houver alguma espécie de dúvida sobre o estado e condição do veículo poderão ser solicitados elementos adicionais que esclareçam as dúvidas.

Se tiver dúvidas ou quiser mais informações, ou se quiser efectuar a sua marcação, pode contactar esta entidade através do email certificacoes@museu-caramulo.net ou do número 916 399 994. Também está disponível a linha verde: 800 20 30 80 ou a página: www.museu-caramulo.net

Automóvel Clube de Portugal

No ACP o processo é muito idêntico, e é sobre a mesma regra e com o mesmo objectivo, ou seja a Certificação de Viatura de Interesse Histórico é um processo que atesta a qualidade do Automóvel/Moto Clássico.

Como já referimos o ACP Clássicos é a outra entidade reconhecida oficialmente para poder Certificar Viaturas de Interesse Histórico. As Certificações emitidas pelo ACP Clássicos têm por base o Despacho nº 10 298/2001 (2ª Série).

Em termos de marcações o ACP Clássicos efectua estas Certificações em todo o território nacional de acordo com o calendário que irá sendo publicado na Revista do ACP e no respectivo site do clube. Se quiser agendar uma Certificação, poderá entrar em contacto com o ACP Clássicos enviando um email para certificacoes@acp.pt ou através do telefone 21 318 01 69, indicando o local pretendido, a data pretendida, a marca do automóvel, o modelo, o ano a matrícula, o numero de Sócio ACP e ACP Clássicos, o email e o respectivo número de telefone.

Em termos de custos e validades a Certificação tem um custo unitário de 50 Euros e conta com uma validade de acordo com as seguintes datas:
Até 1918 – 10 anos
De 1919 a 1945 – 8 anos
De 1946 a 1959 – 6 anos
Após 1960 – 4 anos

Os pontos a verificar neste processo são os mesmos já apresentados acima no artigo assim como os prazos de validade da certificação, e servem para ambas as instituições. Portanto se tem um clássico dentro das condições acima descritas será provavelmente uma excelente altura para o valorizar com este tipo de certificado. As vantagens são por demais evidentes e os custos são reduzidos.

11741257 10207530479130243 8523670904349992447 o (1) Onde e como certificar o seu clássico

Sérgio Gonçalves

A paixão pelos automóveis começou cedo e desde então tem andado de mãos dadas com o jornalismo nas suas mais variadas vertentes.

Produtor de conteúdos, com experiência em rádio, jornalismo online, jornalismo de imprensa e foto-jornalismo.
Sérgio Gonçalves

Latest posts by Sérgio Gonçalves (see all)

 

Tags: , ,