Válvula EGR (Exhaust Gas Recirculation)

Published On 3 de Maio de 2014 | Guias

valvula egr

A recirculação de gases de escape é um conceito utilizado nos motores dos automóveis desde a década de setenta com o objectivo de reduzir as emissões de NOx.

O controlo das emissões dos gases de escape continua a ser um problema de todos os motores de combustão, sejam eles a gasolina ou diesel. Os fabricantes têm hoje em dia maiores preocupações ambientais e incorporam nos automóveis diversos sistemas para reduzir essas emissões. Um dos compostos que faz parte das emissões dos motores é o NOx. Este composto formado por uma molécula de nitrogénio e outra de oxigénio decorre da temperatura elevada no interior da camara de combustão associado à presença de oxigénio e atinge o seu valor mais elevado quando a mistura ar combustível é levemente pobre, ou seja, próxima da relação estequiométrica (14,7:1). Para reduzir os óxidos de nitrogénio (NOx) utilizam-se os sistemas de recirculação dos gases de escape.

Está provado que a recirculação de uma parte dos gases de escape (entre 20 a 30%) na mistura admitida nos cilindros permite reduzir a pressão média efectiva do motor e em consequência disso a temperatura máxima dentro da câmara de combustão também reduz, pelo que, nestas circunstâncias, a formação de óxidos de nitrogénio é mais pequena.

Para que a percentagem dos gases de escape reintroduzidos na admissão seja a mais aconselhável e não ultrapasse a percentagem referida anteriormente, utiliza-se uma válvula especial, mais conhecida por EGR (Exhaust Gas Recirculation). A função desta válvula é controlar o fluxo dos meios complementares directamente ligados ao sistema de gestão do motor.

Ao reintroduzir gases de escape, que são pobres em oxigénio, no motor estamos a reduzir o teor de oxigénio do ar introduzido nos cilindros.

esquema-funcionamento-egr

Os gases de escape provenientes da EGR, quando combinados com os vapores de óleo que vêm do Carter, formam uma mistura pastosa, estreitando a passagem do ar de admissão aos cilindros, provocando um estrangulamento das prestações.

A grande desvantagem deste sistema, reside no facto de que ao entrar na admissão grande quantidade de gases de escape, todo o colector de admissão ficará sujo, levando o motor a perder eficácia prematuramente.

Funcionamento da EGR

A quantidade de gases de escape admitidos nos cilindros, é inversamente proporcional à carga dada pelo acelerador. Portanto, deste modo, temos a EGR no máximo de abertura ao ralenti, e a mesma fechada quando o pedal do acelerador é completamente pressionado.

Sistema EGR

O sistema é composto basicamente de: válvula EGR, circuito de controlo e dispositivos e métodos de avaliação da quantidade de gases recirculação.

A válvula EGR encontra-se localizada num tubo entre o colector de escape e o colector de admissão. Duma forma muito simples o seu funcionamento baseia-se no vácuo criado no lado da admissão. As válvulas utilizadas diferenciam-se basicamente, pela forma como são controladas, pelo que podem ter um controlo pneumático ou electrónico. Hoje em dia, o controlo da maior parte das válvulas é electrónico e, dentro destas, a valvula EGR mais usado é do tipo linear.

Tipos de Válvulas EGR

As válvulas EGR diferenciam-se essencialmente pela forma como são controladas.
1. Controlo pneumático:

  • de diafragma único
  • de diafragma duplo e contrapressão positiva
  • de diafragma duplo e contrapressão negativa
  • 2. Controlo eletrónico:

  • EGR digital
  • EGR linear
  • com motor de passo
  • Atualmente o tipo de válvula EGR mais usado é de controlo electrónico e linear. Neste sistema, a válvula EGR é acionada por um solenoide integrado no corpo da válvula EGR juntamente com o sensor de posição da válvula. A ligação eléctrica da válvula passa, por isso, cinco terminais: dois correspondem ao solenoide de accionamento da válvula EGR e três ao sensor de posição (massa, alimentação e sinal de posição).

    Funcionamento defeituoso

    Muitas vezes o funcionamento defeituoso da válvula EGR é causadora de uma quebra de rendimento do motor com o consequente aumento do consumo e das emissões de gases de escape, pelo que convém proceder à sua substituição ou limpeza, um processo que é bastante simples. É preciso ter em atenção que na maior parte dos casos a limpeza pode ser suficiente, poupando-se assim uma reparação cara com a sua substituição.

    limpeza da EGR

    Remoção da EGR

    A EGR pode também ser fechada fisicamente através de dois processos: com a interrupção do canal de vácuo que activa a válvula ou também electronicamente em certos automóveis.

    A principal vantagem da EGR ser fechada electronicamente em detrimento de um fecho físico, é a ausência de erros na centralina, e, como esta funciona na mesma linha de vácuo do servo-freio, a segurança e o comportamento ficarão inalterados. Um procedimento para desligar a EGR eléctronicamente num VW pode ser visto no link.

    Fechando a EGR não se aumenta a potência máxima do motor, mas em cargas parciais do acelerador a resposta do motor é melhor e a longo prazo não será preciso fazer a limpeza do colector de admissão. Existem no mercado diversas empresas a comercializar supressores de EGR para substituição fisica da válvula.

    supressor-egr

    Segue-me
    Latest posts by Rui Augusto (see all)

    7 Responses to Válvula EGR (Exhaust Gas Recirculation)

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.