Toyota GT86

Published On 17 de Julho de 2012 | Ensaios

Na passada semana, a Toyota apresentou em Portugal a sua mais recente aposta no mundo dos desportivos. O Toyota GT86 é um desportivo compacto de 2+2 lugares, que foi desenvolvido de raiz, orientado totalmente para proporcionar prazer na condução. Numa altura em que as marcas e até a própria Toyota estão mais viradas para os modelos ecológicos, a marca arriscou e colocou no mercado um carro pensado integralmente como um desportivo e não um desportivo criado a partir de um modelo compacto de grande produção.

O Toyota GT86 nasceu de uma parceria entre a Toyota e a Subaru. Durante o desenvolvimento do GT86, o engenheiro-chefe Tetsuya Tada e o seu homólogo na Subaru, Toshio Masuda, aplicaram-se arduamente para alcançar três objectivos fundamentais para este novo desportivo: a tração traseira, motor potente mas sem turbo e pneus de dimensões comuns.

Concebido para se centrar especificamente na pureza de condução, como se de um automóvel desportivo clássico se tratasse, o GT86 foi aprimorado para satisfazer os mais entusiastas da condução. O GT86 herda o espírito de modelos desportivos da Toyota do passado para proporcionar a cada condutor momentos inesquecíveis de puro prazer ao volante.

A Toyota concebeu um carro tão simples quanto possível para os tempos modernos, em aspectos como a inclusão de dispositivos electrónicos. A Toyota pretendeu também que o carro fosse facilmente afinado e customizado de acordo com as preferências de cada utilizador. Através da TRD ou de outros preparadores, quem compra um GT86 pode personalizar com relativa facilidade o seu automóvel, melhorando as suas performances e comportamento.

A Toyota inspirou-se nos seus carros desportivos históricos: o AE86, tão adorado pelos entusiastas da tracção traseira, o Toyota 2000GT e o pequeno Toyota Sports 800, cujo motor de dois cilindros opostos foi a inspiração para a mecânica deste novo desportivo.

O projecto do GT86 arrancou em 2006, com a Toyota a assumir a liderança nas fases de Planeamento de Produto como na fase de Design. Colaborando no seio do Team 86, a Toyota e a Subaru dividiram responsabilidades no programa de desenvolvimento.

A Subaru aplicou as suas tecnologias e know-how em aspectos como o motor, transmissão e suspensão. Na fase de testes, tanto a Toyota como a Subaru trabalharam em conjunto nas estradas e em circuitos de competição em todo o mundo para refinar as performances e as aptidões dinâmicas do veículo, nomeadamente em Nurburgring.

Cada uma das empresas ficou também independentemente responsável pelo acerto final que daria a personalidade na condução de cada um dos seus modelos, para além de algumas outras diferenças estéticas que distinguem o GT86 do Subaru BRZ.

O design do GT86 foi inspirado em modelos Toyota do passado. O design fluido e as linhas exteriores foram moldadas não só para gerarem o máximo apelo visual mas também para que o condutor pudesse saber onde termina cada canto do veículo, o que o ajuda a colocar o carro precisamente em cada ponto da estrada ou do circuito. Os ousados guarda-lamas dianteiros da carroçaria são claramente visíveis através do pára-brisas e os painéis laterais traseiros através dos retrovisores exteriores. Estas formas proeminentes em todos os quatro cantos da baixa carroçaria acrescentam uma nova dimensão à ideia de que condutor e automóvel formam um todo.

A secção dianteira do GT86 incorpora uma apurada aerodinâmica e tecnologias avançadas de refrigeração. Mas o design consegue não ser negativamente afectado por imperativos aerodinâmicos, o que permite que os guarda-lamas da carroçaria conservem os contornos sensuais que qualquer automóvel desportivo deve ostentar.

O design do Toyota GT86 aplica um conceito único chamado ‘Aero Sandwiching’. O carro é empurrado por uma corrente de ar a partir do topo, da base e dos guarda-lamas – efectivamente ensanduichado por ar de todas as direcções, o que o estabiliza tanto vertical como horizontalmente. Desta forma, o carro assenta na estrada sem que seja necessário criar elementos que gerem forças descendentes, os quais podem ter um impacto negativo no coeficiente aerodinâmico e, logo, no consumo de combustível.

O contorno do tejadilho com dois canais ‘pagode roof’ é um exemplo de como funciona este sistema e, uma utilização similar foi igualmente aplicada na parte de baixo da carroçaria, suavizando a passagem do ar e melhorando as forças descendentes que atuam na carroçaria. Daqui resulta um coeficiente aerodinâmico de apenas 0.27 (Cd).

As partes laterais do tejadilho foram subidas para permitir mais altura no habitáculo, ao mesmo tempo que a altura total do carro foi rebaixada. A secção levantada em cada um dos lados ganha largura à medida que evolui para trás, o que permite gerar uma rigidez torsional acrescida para o chassis, algo que é particularmente útil no GT86, cujo tejadilho em aço tem uma espessura de somente 0.65 mm, de modo a minimizar o peso.

Outros detalhes reveladores do cuidado trabalho feito na aerodinâmica são o spoiler traseiro e o recurso alhetas estabilizadoras conhecidas como ‘sakana’ (que significa “barbatanas de peixe” em japonês), que são integrados um pouco por toda a carroçaria, incluindo os painéis traseiros que combinam das ópticas traseiras. A localização dos sakana tanto nas laterais como na parte de baixo da carroçaria do GT86 contribui ainda mais para reforçar a estabilidade lateral.

Na traseira, o difusor em forma de rampa, incorpora duas ponteiras de escape cromadas, dando expressão à excelente aerodinâmica do veículo e à agilidade que resulta do peso leve deste novo automóvel desportivo.

O novo Toyota incorpora numerosos e muito bem pensados, detalhes desportivos. Entre eles incluem-se a grelha exclusiva GT86 em T, a qual é repetida no design triangular do farol de nevoeiro central traseiro, o spoiler traseiro, a dupla ponteira de escape e o logótipo pistão ‘86’ nos guardas lamas dianteiros da carroçaria.

O GT86 está disponível em sete cores exteriores: Branco Pérola Satinado, o Cinza Escuro, o Cinza Sterling, o Vermelho Relâmpago, o Azul Galáxia Silica e o tom único da Toyota em Tangerina Tango. Esta foi, alias, a cor escolhida para o lançamento, conforme se pode ver nas fotografias aqui apresentadas.

Passando para o interior, o destaque vai para o estudo minucioso da ergonomia e funcionalidade. A bordo do GT86, o cockpit totalmente focado no condutor, permitindo que o novo desportivo da Toyota seja conduzido facilmente, com os principais elementos visíveis e facilmente acessíveis, a excepção talvez vá para a colocação do botão de start.

O quadro de instrumentos possui três mostradores, com um grafismo muito agradável e desportivo que proporciona uma boa visibilidade e facilidade de leitura. Foi colocado também um velocímetro digital dentro do tacómetro, além de uma luz vermelha que se ilumina cada vez que são atingidas as rotações ideias para ser feita a passagem de caixa.

O volante conta com um diâmetro de apenas 365 mm e acabamento em camurça. Como curiosidade, pode referir-se que é o volante mais pequeno alguma vez montado num Toyota.

Os bancos proporcionam um excelente apoio, mesmo nas curvas mais exigentes e são igualmente confortáveis e com um design bem conseguido. Os restantes materiais são de boa qualidade.

O motor arranca através de um botão start colocado na consola central. Destaque também para o revestimento totalmente em negro do tecto, os pedais em alumínio e outros pormenores interessantes, tal como o facto de que até o espelho retrovisor foi pensado para reduzir o peso ao máximo.

A Toyota assume também que o carro vai ser modificado pelos seus proprietários e até vão participar com o mesmo em competição e trackdays. Assim, o habitáculo foi concebido para permitir a fácil instalação de barras de reforço de protecção e, no interesse da diminuição do peso, é possível prescindir de algum equipamento como o sistema de ar condicionado e o sistema áudio.

Ao motor Boxer 4 Cilindros opostos horizontalmente da Subaru com 1,998 c.c., a Toyota juntou a sua exclusiva tecnologia da nova geração D4-S pela primeira vez. A potência debitada pelo motor é de 200cv às 7000 rpms e o binário de 205 Nm disponível entre as 6400 e 6600 rpms. Para aqueles que gostam de estatísticas, isso representa uma potência específica de 100 cv/litro. O GT86 alcança os 226km/h de velocidade máxima e acelera de 0 a 100km/h em 7,6s, no caso da versão com caixa manual. Os números podem não impressionar muito, mas o carro demonstrou em circuito que a potência e o binário a altas rotações são mais do que suficientes para proporcionar emoções fortes.

Com injectores duplos independentes para a injecção directa e indirecta, o sistema D4-S realiza a injecção directa no cilindro e também a injecção convencional indirecta ou apenas a injecção directa, dependendo da velocidade de rotação do motor. Assim, o ar na admissão e o combustível são misturados de forma homogénea em qualquer velocidade do motor sem que seja sacrificada a eficiência na utilização de combustível ou a performance ambiental.

Com a famosa configuração de 86 mm de diâmetro x 86 mm de curso – um motor “quadrado” que alia economia de consumo com rotação bem equilibrada – o bloco e a cabeça de 16 válvulas de duas árvores de cames do motor do GT86 foi trabalhado para atingir rotações altas e uma elevada taxa de compressão de 12.5:1.

A massa do pistão foi minimizado e o seu comprimento optimizado com vista a aumentar a rotatividade do motor. A forma em crista foi trabalhada para facilitar a injecção directa e uma elevada taxa de compressão directa. A forma das bielas foi igualmente optimizada para que pudessem ser conseguidas as desejadas elevadas velocidades rotacionais.
O novo motor horizontal de 4 cilindros sobe livremente de regimes até às 7.400 rpm, momento no qual um luz de aviso para passar de caixa se acende no quadro de instrumentos.

Para se obter uma nota acústica suave e extremamente agradável, os tempos de abertura de válvulas de admissão e de escape foi igualado. Contudo os engenheiros da Toyota tiveram em consideração que muitos países possuem leis as mais restritas de anti-ruído, o que torna difícil elevar o som de escape tanto como o condutor de um carro desportivo poderia desejar.

Por isso, os engenheiros decidiram canalizar o som directamente para dentro do carro, o que acontece pela primeira vez num modelo da Toyota. Quando os impulsos da admissão chegam ao gerador de som, um amortecedor de som ressoa a determinadas frequências para melhorar o som de admissão. O som optimizado é então enviado directamente para o habitáculo através de um tubo de borracha. Daqui resulta um verdadeiro som de automóvel desportivo quando a aceleração é feita a fundo, conforme tivemos oportunidade de comprovar.

O motor de quatro cilindros opostos pode estar associado a uma caixa manual ou a uma automática, ambas de seis velocidades. A caixa manual é rápida e precisa, com relações de transmissão muito próximas através de um selector de velocidades directo e de curso reduzido. Não tivemos a oportunidade de testar a caixa automática, mas a nova caixa, concebida pela Toyota, é bastante evoluía e regista tempos nas passagens de caixa de apenas 0.2 segundos.

O motor do GT86 alia-se a uma carroçaria compacta, ao baixo peso, à baixa inércia e ao baixo centro de gravidade para alcançar a melhor relação peso/potência possível. A afinação final da suspensão, travões e direcção do GT86 permitem que o condutor retire o máximo de partido da pureza do comportamento excepcionalmente rápido, permitindo curvar a grande velocidade e de forma fácil, permitindo apontar facilmente o carro para as saídas das curvas e até fazer com que facilmente deslize de traseira. Para este comportamento também contribui a excelente distribuição de peso, com uma relação de 53:47.

O GT86 está equipado com discos ventilados nas rodas dianteiras, com 294 mm de diâmetro e 290 mm, eventualmente também para garantir um peso menor, mas que poderão ser insuficientes e mostram-se pequenos quando vistos no interior das jantes de 17 polegadas. O Toyota está equipado, de série, com Sistema ABS, Distribuição Electrónica da Força de Travagem (EBD), Controlo de Tração (TC) e um avançado sistema de três modos de Controlo de Estabilidade do Veículo (VSC).

Os sistemas ABS e o VSC foram especificamente afinados para poderem combinar estabilidade dinâmica no limite das performances do veículo com a intrusão electrónica mínima a bem da pureza da experiência de condução desportiva.

O novo sistema VSC dispõe de um modo de funcionamento adicional VSC SPORT. Uma vez seleccionado através de um botão montado no túnel de transmissão, o VSC SPORT expande a possibilidade de aceleração e de movimentos laterais antes do sistema intervir, permitindo que o condutor explore os limites da dinâmica do carro sem, com isso, sacrificar a estabilidade ou o prazer de condução em drift.

Prestando uma homenagem às lendárias jantes Black Racing do AE86, as jantes de liga leve de 17” do GT86 também foram pensadas para ter um baixo peso. Os engenheiros da Toyota determinaram também que o potencial dinâmico do GT86 não deveria estar dependente de pneus de elevadas performances, pelo que este novo desportivo compacto está equipado com pneus 215/45 R17 idênticos aos montados num Prius. Estes pneus permitem que qualquer condutor retire o máximo de proveito do chassis e da suspensão. Foi com estes mesmos pneus que testamos o GT86 no circuito do Algarve e comprovamos esse bom comportamento. No entanto o upgrade aos pneus deverá ser um dos primeiros a fazer por futuros clientes, para melhorar as performances e comportamento do GT86.

Ao nível do equipamento o Toyota GT86 apresenta: jantes de Liga Leve, faróis de Xénon – HID, luzes diurnas LED, logotipo nos guarda-lamas frontais, diferencial autoblocante (Torsen), assistência ao arranque das subidas, sistema de entrada inteligente, A/C Automático e bi-zona, espelho retrovisor automático, velocímetro digital + analógico, pedais em alumínio escovado, sistema de arranque inteligente, cruise control, bancos desportivos e sistema Multimédia Toyota Touch. Os opcionais são poucos, incluindo apenas bancos em pele e aquecidos, Toyota Touch & Go e a referida caixa automática de 6 velocidades.

O Toyota GT86 tem um preço base de 39.780 €, com a variante Sport a custar 41.145€ e a versão Sport com Caixa Automática a chegar aos 42.810€.

A Toyota quis realmente fazer um carro desportivo de verdade: um carro leve, potente, equilibrado, ágil e relativamente simples. A Toyota pretende conquistar mais entusiastas para a marca e este GT86 poderá significar que o Toyota AE86 poderá aos poucos ser substituído por este novo modelo, junto dos fans da tracção traseira.

No autódromo do Algarve, o GT86 revelou todas as suas credenciais e demonstrou que a Toyota no seu desenvolvimento não deixou nada ao caso, nomeadamente o prazer de condução. É um carro feito para as curvas e para disfrutar.

Segue-me
Latest posts by Rui Augusto (see all)

13 Responses to Toyota GT86

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.